domingo, 18 de maio de 2008

Ainda

Te quero por perto
Deus sabe por quantos
motivos, pra quantos
segundos e séculos
possível for

Te quero me vendo
me ouvindo, falando
sentindo, tocando
se dando, me tendo
fazendo amor

Te quero no banho
no quarto, na cama
na mesa, na sala
na biblioteca
no elevador

Te quero invadindo-me
a solidão mórbida
e pondo-me em órbita
eu te quero um lindo
disco voador

Te quero na última
estação da vida
tão ou mais querida
leda, diva e lúcida
só por um fio

Na última hora
do último dia
na noite mais fria
e um dia na história
te quero, viu?

No bosque, bar, gruta
lar, cadeia, parque
guerra, paz, em Marte
na Lua, na puta
que nos pariu

2 comentários:

Hermínia Nadais disse...

Engraçado!!! Acho uma linda e peculiar forma de descrever um sentimento tão profundo.
Vou andar por aqui a ver uma coisinha de cada vez... para mastigar bem e não me cansar.
Obrigada pelas visitas aos meus espaços.
Bjitos

neo-orkuteiro disse...

Obrigado digo eu a você, Hermínia.