sábado, 29 de novembro de 2008

ALZIRA

(A)lguém na vida lhe quer bem, jamais a esquece
(L)embre-se disso a cada vez que achar que não
(Z)elo integral, pois, afinal, você merece
(I)ncondicionalmente consideração
(R)esta só ver quem sempre tem, e lhe oferece
(A)mor no tom, do bem, do bom - o seu irmão

22 comentários:

Rosemari disse...

João

Ter um irmão como você é dádiva de vida, de luz.
Quem dera meu irmão fizesse um acróstico para mim.
SERIA A IRMÃ MAIS FELIZ DO MUNDO!!
Parabéns brother!!

Tere Tavares disse...

João,
O tom do bem é um sentido indispensável, pelo valor à vida, pela vida que se esparge quando o propagamos. Felicidades.

neo-orkuteiro disse...

Obrigado, "sister" e "poetic partner" Rosemary.

neo-orkuteiro disse...

Obrigado, Terê, talentosa poetisa e pintora, por suas palavras, sempre no tom e propagadoras de verdade, bem e beleza.

Sam disse...

Haha, quisera eu que minha irmãzinha me desse acrósticos de presente
(e ficarei na vontade, porque vai demorar para ela pensar em fazer um...Bebezinha! rs)

Beijos

neo-orkuteiro disse...

Mas se sua maninha vier a fazer um, aposto como você sentirá como plenamente recompensada a demora, e não pela quallidade textual ou poética de seu acróstico, mas pelo que conterá de amor e dedicação, Sam. Obrigado por sua visita e comentário.

Parapeito disse...

...Sempre tive pena de ser filha unica...
Que bom que é sabermos que temos sempre o amor de um irmão...

Sorte a vossa :))
***

neo-orkuteiro disse...

Obrigado, Parapeito. Natural que filhos únicos se ressintam de não terem irmãos, até por questão de se identificarem com a maioria das pessoas, que os têm.
Estas, nem sempre se dão conta do bem que ter uma irmandade consangüínea representa. Talvez se queixem de ter que repartir atenções e pertences que filhos únicos têm exclusivamente para si.

JOICE WORM disse...

O "Ler-se por dentro" lhe deixou hipnotizado. Agora queira também um Acróstico com meu nome feito por ti... (Cheia de ciúmes, viu só?)

neo-orkuteiro disse...

Foi mesmo, Joice, após minha "leitura por dentro" que se deu esse "pequeno milagre" de sair acrosticando post a post. Isto movimentou o blog por certo tempo (cico dias certinhos de distância entre cada post e seu sucessor). Mais alguns acrósticos ainda virão, porém a seqüência linear com meu DNA será interrompida por aqui, mesmo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Mais um acróstico lindo.
Amigo, que vergonha, hein? Mas vc vai se redimir.
Você ainda não foi apreciar a minha postagem no Galeria sobre o filme da Massai Branca. Vou ficar à sua espera. E se quiser tomar um chá comigo, vá ao poemas e canções.
Beijos,
Renata

neo-orkuteiro disse...

Massai branca eu nao acreditaria nem vendo, ah, mas é filme, vou ler sua resenha, sim.

Camilíssima disse...

Olá! Vim agradecer sua gentil visita à minha caixa, tão cheia de "Pandorisses" e devaneios. Teus comentários deram um toque de beleza e graciosidade aos meus escritos. Em seu modo de se expressar, vejo imenso carinho para com os que te cercam e fico deveras feliz ao perceber que existem pessoas assim na blogsfera. Seja sempre muito bem vindo à Caixa de Pandora e saiba que estarei sempre aqui também. De fato receber um acróstico é como um carinho na face, parabéns por tamanha sensibilidade e sorte de quem o mereceu.
Beijinhos e até breve.

neo-orkuteiro disse...

Que afáveis palavras, afabilíssimas, Camila, a superlativa. O diálogo se estabeleça, então. Gosto do que vejo em seu blog, por isto vou lá e registro passagem, e gosto de ver você por aqui também, de certeza. Você é uma necessidade estética de meu espaço virtual, queira sempre voltar, pois.

Tentativas Poemáticas disse...

Amigo João
Fiquei surpreendido e contente por conhecer este seu poema acróstico, muito bem elaborado. Porquê? Porque já tenho feito alguns e senti-me um pouco "louco". Agora sinto-me acompanhado nesta chamada "loucura", que afinal, tem a sua beleza.
Um grande abraço.
António

neo-orkuteiro disse...

Bem vindo seja, então, amigo António, à confraria da insânia esteticamente produtiva. Sou de opinião que a humanidade carece tanto de nossas loucuras, que podem ir (e vão mesmo, só louco para duvidar) das mais moderadas às totalmente desenfreadas, quanto de nossas conseqüentes produções.

Betinha disse...

Passando apenas para lhe dar um abraço virtual.

neo-orkuteiro disse...

Recebido em boa hora, Betinha. Sinta-se vcirtualmente abraçada também mas entenda que minha gratidão de virtual não tem nada, é gratidão mesmo.

ICH LÍEBE DÍCH disse...

Olá....João!
Agradeço sua visita....e comentário, você é muito gentil!
Gostei daqui....voltarei mais vzs...
Bjs...

neo-orkuteiro disse...

Willkommen, Ich lliebe dich.
Ich liebe dich und auch dein blog.
Bom você te vindo, grato por comentar e espero que volte sempre, sim. Retribuirei.

Ana Baldner disse...

Obrigada pela visita...

bjs

neo-orkuteiro disse...

Obrigado, Ana, pela retribuição. Seja bem vinda por aqui. Volte sempre que quiser. De preferência queira mesmo.

Beijos.